segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Grupo da Terceira Idade investe na perpetuação das Seretas em Taubaté

Tudo que fazemos é por satisfação, prazer, auto-estima e por amar a música popular brasileira.



      Quando se fala em músicas românticas, logo nos veem a mente um violão e voz, suspiros de casais apaixonados, além da idéia de cantorias em baixo da janela. Essas são as conhecidas serenatas que ainda permanecem na nossa cultura, mesmo que tímido.
     Estes eternos apaixonados continuam cantando ao vivo músicas românticas e arrancando emoções de quem as escuta, pelo menos é o que acontece com o grupo de seresteiros em Taubaté Mensageiros da Amizade, que teve sua formação em 2002;
     O grupo  é formado por  aproximadamente 20 componentes, todos da terceira idade do CCTI (Centro de Convivência da Terceira Idade) Mensageiro da Amizade de Taubaté.
     No repertório, estão artistas excepcionais do passado e do presente, entre eles, Cartola, Tom Jobim, Roberto Carlos, Pixinguinha, Olando Silva etc, que interagindo com o grupo formam aproximadamente 100 músicas.Foi em Conservatória, no Rio de Janeiro, conhecida mundialmente como a cidade das serestas, é que o presidente do Mensageiro da Amizade trouxe os conceitos para criar um grupo em Taubaté.“Eu fui com a minha esposa e lá pude ver que nas sextas-feiras a cidade se enchia de seresteiros, e foi a partir disso que tive a ideia de trazer isso para Taubaté”, explica Carlos Faria Costa, presidente da Seresta.
     Geralmente as serestas são cantadas por pessoas mais maduras, tornando-se inusitado para os jovens - tão acostumados a trocarem músicas pelo Mp3.“Nós fazemos as apresentações da seresta para todas as idades, incluindo crianças e jovens, que sempre gostam. Tudo que fazemos é por satisfação, prazer, auto-estima e por amar a música popular brasileira”, afirma Darcy Azevedo, coordenadora da Seresta.
     E para perpetuar a história, já dizia Pixinguinha ao retratar o sentimento humano: vem sentir o calor dos lábios meus a procura dos teus/ Vem matar essa paixão que me devora o coração/ E só assim então serei feliz/ Bem feliz. Este sentimento que nas Serestas nunca são “deixados” de lado, pelo menos não no grupo Mensageiro da Amizade, é o que garantem os seresteiros que fazem parte.



 
Teve interesse?
Mais informações sobre o grupo de Seresteiros
Rua: Conselheiro Moreira de Barros, 177, centro - Taubaté
Tel: (12) 3621-5093/ 3631-0232

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Mais perto do que se imagina

Estima-se que a cada 25 pessoas, uma seja pscicopata.

     Sempre que lemos nos jornais sobre assassinatos cruéis, pessoas que cometem atrocidades, sempre vem a mente: Pscicopatas!
     Mas, o que muita gente não sabe é que essas pessoas incomuns transitam no meio de nós, é como se o mal vivesse lado a lado. Estima-se que a cada 25 pessoas, uma seja pscicopata, ou seja, isso é mais comum do que se imagina.
     Mas afinal, o que é um pscicopata? Geralmente trata-se de indivíduos que possui geralmente três fatores, entre eles influencia genética, traumas pscicologicos e principalmente disfunções no cérebro no lobo frontal e sistema límbico, responsável pelas emoções.
     O livro Mentes Perigosas - O pscicopata mora ao lado de Ana Beatriz Barbosa Silva (Editora Objetiva), explica bem isso. “Eles podem arruinar empresas e famílias, provocar intrigas, destruir sonhos, mas [em sua maioria] não matam. E, exatamente por isso, permanecem por muito tempo ou até uma vida inteira sem serem descobertos ou diagnosticados. Por serem charmosos, eloqüentes, ‘inteligentes’, envolventes e sedutores, não costumam levantar a menor suspeita de quem realmente são. Podemos encontrá-los disfarçados de religiosos, bons políticos, bons amantes, bons amigos. Visam apenas benefício próprio, almejam o poder e o status, engordam ilicitamente suas contas bancárias, são mentirosos contumazes, parasitas, chefes tiranos, pedófilos, líderes natos da maldade”.
     Segundo o psiquiatra canadense Robert Hare, uma das maiores autoridades sobre o assunto, os psicopatas têm total ciência dos seus atos - a parte cognitiva ou racional é perfeita -, ou seja, sabem perfeitamente que estão infringindo regras sociais e por que estão fazendo. O déficit deles está no campo dos afetos e das emoções. Assim, para eles, tanto faz ferir, maltratar ou até matar alguém que atravessa o seu caminho ou os seus interesses, mesmo que esse alguém faça parte de seu convívio íntimo. Esses comportamentos desprezíveis são resultados de uma escolha exercida de forma livre e sem qualquer culpa. A mais evidente expressão da psicopatia envolve a flagrante violação criminosa das regras sociais - eles sabem perfeitamente o que estão fazendo. Quanto aos sentimentos, porém, são absolutamente deficitários, pobres, ausentes de afeto e de profundidade emocional: “Assim, concordo plenamente quando alguns autores dizem, de forma metafórica, que os psicopatas entendem a letra de uma canção, mas são incapazes de compreender a melodia”, esclarece a psiquiatra.
     O livro carrega uma bagagem importante, explicando como se cuidar perante essas pessoas que podem prejudicar o andamento da sua vida.



domingo, 22 de agosto de 2010

Folclore

                                                                                               Fernanda Toffuli

O folclóre é dinâmico e muda ao longo do tempo.


      O folclore é comemorado mundialmente no dia 22 de agosto, porém essa é mais uma data comemorativa do nosso calendário.
     Na realidade, o "Folk-lore"- cultura do povo- deveria ser festejado a cada nova música feita, a cada história contada, a cada brincadeira aproveitada.
     De bonecos em bonecos, de quitutes em quitutes, o folclore se revela, se mostra e se contesta. Ele acima de tudo é mutável e dinâmico, se misturando ao passado, ao novo e ao futuro, permitindo a flexibilidade que a cultura tanto precisa e merece, se tornando mais presente no dia-a dia de quem se permitir entrar no clima colorido, de vários cheiros e várias etnias que a cultura dos povos esbanja.
     No Vale do Paraíba, cada cidade tem seus costumes e suas preferências, mas todos se voltam principalmente para o lado rural, brincadeiras de corda, bolo-de-fubá, e muito mais, lembrando que a cada ano alguma novidade é incorporada a esse extenso grupo de costumes que se modificam e se moldam ao longo do tempo.

domingo, 15 de agosto de 2010

E sobre essa pedra construirei a minha igreja...

                                                                      Fernanda Toffuli
Para os católicos, a religião é a legítima já que foi fundada por Jesus.

     O termo Católico vem da palavra grega que significa ”universal”, remontando a idéia de que ela é uma crença aberta a todos os homens.
     Essa religião surgiu quando Jesus Cristo – considerado o messias pelos cristãos - confiou a um de seus apóstolos chamado Pedro o poder de governar a igreja, tornando-o assim o primeiro Papa.
     Na realidade, a religião católica veio da tradição judaica, uma vez que Jesus Cristo era judeu. “Na teologia Cristológica, Jesus não pensou em uma nova religião, mas sim queria restaurar o Judaísmo que esperava o messias, o salvador, porém ele não foi aceito pelos judeus como “O Messias” prometido, fundou sobre Pedro a sua igreja quando disse:- Tu és Pedro e sobre essa pedra construirei a minha igreja, e tudo que tu ligares na terra será ligado no céu, tudo o que desligares na terra será desligado no céu”, explica Paulo Vinícius Gonçalves, filósofo e estudante do 3º ano de Teologia.
     Para os católicos, a religião é a legítima de Jesus Cristo, uma vez que foi fundada por ele. Segundo a tradição, a igreja é o “corpo místico” de Cristo e por meio da celebração do batismo, através do Espírito Santo, as pessoas se tornam cristãos e filhos de Deus.
     Existem alguns mistérios, nas quais, os cristãos católicos acreditam, sendo: a os dez mandamentos que devem se seguidos, a eucaristia - momento na celebração em que se recebe Jesus Cristo através da hóstia- e a redenção de seu líder na cruz para salvar os pecados dos homens. Os dogmas são basicamente a virgindade e pureza de Maria - a mãe de Jesus Cristo-, e a assunção de Maria ao céu - sendo Maria considerada imaculada, ela vai diretamente ao céu, sem passar pela morte e sem ter pecado.
     A interpretação da bíblia é considerada polêmica e requer cuidado, uma vez que pode ser lida pelo olhar da fé ou como um registro de documentos históricos de determinadas épocas. A bíblia católica é composta por todos os livros aceitos pelos judeus mais alguns livros deuterocanônicos – que não são aceitos pelos judeus conservadores e que fazem parte do novo testamento, constituídos de 27 livros.
     O Papa como autoridade máxima da Igreja Católica Apostólica Romana, é considerado sucessor do apóstolo Pedro, guiando-se pela bíblia, através dos evangelhos - escritos feitos pelos homens, mas, segunda a tradição, inspirados pelo poder divino – que seriam a base moral e ética dos cristãos, bem como a caridade. Esse último quesito é apresentado em algumas instituições, tal como hospitais, creches, orfanatos, asilos e pastorais, juntamente com a comunidade.
     Uma polêmica ocorre quando se toca no assunto de Deus interferir nos acontecimentos naturais ou problemas sociais que atingem os humanos, e católicos defendem a tese de que isso não é a vontade de um ser supremo: “Há uma tendência muito humana, mas falha, de admitir que as catástrofes naturais sejam castigos divinos porque as pessoas não se guiam pelos ensinamentos de Deus e vivem uma vida errada. Os problemas que temos somos nós que criamos, nada tem a ver com Deus, comenta José Eugênio Santos, monsenhor e sacerdote católico.
     A principal mensagem do catolicismo e do cristianismo, segundo o cristãos, é que Deus é um criador, e teve um filho chamado Jesus Cristo, que morreu crucificado pelos humanos para salvar as almas e leva-las ao encontro de seu pai. “Assim, por meio do Evangelho e de todos os ensinamentos da palavra de Deus, a igreja passa uma mensagem de fé, esperança e amor”, completa Santos.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Entre bancas e pessoas, muita história!

                                                 Fernanda Toffuli
     A região tem o nome de “Largo do Mercado”
    

      Quem passa pelo Mercado Municipal de Taubaté muitas vezes não nota a historia rica e cheia de detalhes que se esconde atrás das bancas, das pessoas, dos aromas e dos sons, sendo que tudo isso se iniciou há muito tempo, na época em que Taubaté ainda não era considerada uma cidade.
     Com a passagem das bandeiras que eram formadas pelos desbravadores do Brasil colônia pelo Vale do Paraíba, a região do tanque em Taubaté foi drenada e ficou sendo ponto de encontro dos mercadores, vindos se outras regiões para trocar os produtos. Hoje esta região tem o nome de “Largo do Mercado”. “Ali as pessoas conversando, se tem o maior negócio de gado vivo feito na região, ali as pessoas conversando perto das pastelarias estão vendendo cinqüenta cabeças de boi. Então você tem dentro do mercado as almas que se movem, e, ele passa a ser um ponto turístico, tendo características próprias estando presente nos momentos de alegria e tristeza das pessoas”, conta Carlos Roberto Rodrigues, professor de literatura brasileira e portuguesa da Universidade de Taubaté.
     Com o passar do tempo, o fluxo de mercadorias aumentou tanto em Taubaté como nas cidades da região, sendo que a economia do município começou a girar em torno do mercado, sendo que atualmente os feirantes têm uma associação que os beneficiam, tanto para reivindicar como para promover os produtos e os preços do mercado.
     Socialmente, o mercado ainda é a mistura de gerações e ainda permanece como ponto de encontro de conversas e troca de experiências, sendo que a grande maioria das bancas são passadas de pai para filho, perpetuando a história e, gerando ainda grande parte da economia local.